quarta-feira, 20 de junho de 2012

Recebi hoje de manhã um email que me deixou bu-zi-na-da-sil-va.

Não bu-zi-na-da-sil-va com a pessoa que me enviou (que, aliás, me fez um favor e teve que se virar para conseguir o meu contato e só o conseguiu por intermédio do clássico: esse que conhece aquele que, por sua vez, conhece aquele outro), mas mui-to-mas-mui-to-mui-to-bu-zi-na-da-sil-va com o que me foi relatado ali, in off e acontecia (e voltaria acontecer!) nos bastidores sem eu saber.

Li e tive que contar até 800 para não explodir. E depois, mais 500...

Ao perceber que a minha raiva não passaria tão cedo e que de nada adiantaria eu ficar praguejando quem não sabe perder com dignidade, decidi agir em minha defesa. Em três horas juntei uma papelada que encheu uma pasta. Exames, atestados, diagnósticos... provas e contra-provas. 

Resultado? Cinquenta por cento do meu arsenal já está prontinho, só esperando que a inimiga saia de trás da moita para que eu possa pegá-la com as calças na mão. 

Nos próximos dias ainda terei que correr atrás do que falta, sorte minha que tenho tempo. Lamento muito que tenha que ser assim, mas tapetão e canetaço pra cima de mim não vai rolar mesmooooooo!

Sigo indignada. Muito indignada. E o pior é que não posso deixar transparecer que sei de alguma coisa. Por uns 15 dias vou ter que aguentar no osso, levando na boa. Haja sangue frio! Enquanto não posso usar da forma oral, vou desabafando por aqui.

É impressionante a que ponto as pessoas chegam para conseguirem alcançar um objetivo. Algumas são capazes de passar por cima de qualquer coisa, inclusive do que se entende por ética.

Ética não é uma disciplina que se aprende na escola, não é algo que se possa decorar lendo e sequer é uma doutrina que possa ser seguida. 

A ética é o que fica da vida que a gente leva, de cada escolha que a gente faz. É o saldo que nos resta de cada ação que praticamos no nosso dia a dia.  

A felicidade que hoje se tira dos outros, diminui ali na frente muito mais da gente mesmo. Parece piegas? Até pode ser, mas eu acredito honestamente nisso. E digo mais... Quem tem o coração cheio de amor, tem ética naturalmente.

Ético é aquele que não está preocupado com a reputação, mas com o caráter. Ético é aquele que se esforça para fazer o bem e não para parecer bondoso. Ético é aquele que em respeito ao sentimento do outro toma cuidado com as palavras que usa quando se refere a ele. Ético é aquele que enxerga além do seu umbigo e se coloca no lugar da outra pessoa. Ético é aquele que sabe perdoar, deixando espaço livre na memória para uma nova chance. Ético é aquele que se preocupa com o aprendizado muito mais do que com a vitória. 

A ética é a linha divisória entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, entre o moral e o imoral, entre a lisura e o mau-caratismo. Ninguém nasce sabendo tudo sobre ética e da mesma forma ninguém morre tendo esgotado tal conhecimento. A ética é algo que se aprende e se acumula ao longo de toda uma vida.    

Por exemplo...

Quando tomamos real consciência de que grana, conforto e status são apenas privilégios e não direitos, estamos aprendendo sobre ética.

Quando olhamos o emprego dos outros e enxergamos ali o seu ganha-pão, estamos aprendendo sobre ética.

Quando apesar de todos os nossos problemas, sentimos que o amor se esconde por trás de cada sílaba que pronunciamos, estamos aprendendo sobre ética.

Quando aceitamos a derrota ao mesmo tempo em que encontramos novas forças para lutar com dignidade, estamos aprendendo sobre ética.

Para encerrar meu desabafo...

Ética é o que nos permite ao final de cada dia deitar a cabeça no travesseiro e ter a certeza de que vamos poder dormir O Sono dos Justos.
Eu tenho dormido bem ultimamente, e justiça é uma palavra que me agrada muito.

2 comentários:

Marcio JR disse...

Oi, Neca.

Ontem, li a tua crônica, e fiquei com a pulga atrás da orelha. Mas, ainda bem que não tem nada com aquilo. E, na correria, acabei nem comentando.

O que você relatou é um tanto complexo para algumas pessoas. Ética? Existem seres humanos que sequer sabem o que é moral, quem dirá então o que quer dizer a palavra ética.

O engraçado é que muitas vezes, você que se mantem num caminho correto, tentando não afetar ninguém, é que tem que se preocupar com as ações desmedidas que outras pessoas tomam.

Dá vontade de mandar pra @@#%@$%# e ficar olhando, mas não somos assim. Aiai.

Nequinha, minha querida. Não esquenta a cabeça. Você vai colocar essa pessoa no lugar dela, tenho certeza disso. Só não vai se irritar demais. rsrs.

Bjs, mocinha.

Marcio

21 de junho de 2012 18:14
Neca disse...

hehehe... Nada a ver com o que vc imaginava! Aliás, nem bom comentar muito para não atrair coisa ruim...
Mas, passada a indignação inicial, agora já tô mais na boa.
Beijocassss

22 de junho de 2012 14:30

Postar um comentário